Select Page

Depois de esclarecida, no último artigo da homeostase, a grande questão que deu origem a este estudo Splunk — O que é dark data? —, vejamos quais as principais conclusões do mesmo.

Dark Data: a escuridão total

Em média, os tomadores de decisão na gestão das empresas e nos departamentos de tecnologias de informação, estimam que 55% dos seus dados estejam na escuridão total (desconhecidos ou inexplorados), ou seja, são o verdadeiro dark data. No entanto, 81% dos inquiridos classifica que os dados são “muito” ou “extremamente” valiosos para o sucesso geral da organização.

56% dos inquiridos admite que “data driven” é só um slogan na sua organização.

Na primeira parte deste artigo, fizemos a questão: se o dark data tem tanto valor e os gestores o sabem, por que razão as empresas não o aproveitam? Ora, este é o top 3 de obstáculos indicados pelos inquiridos: volume de dark data (39%); ausência de skills na equipa (34%); falta de recursos humanos (32%).

Inteligência Artificial: a próxima fronteira

Apenas 12% dos inquiridos recorre, à data deste estudo, à inteligência artificial como ajuda e orientação na estratégia do negócio — mas 61% diz que o fará em 5 anos. Entender os dados é referido por 78% dos inquiridos como o grande impedimento para aderir às iniciativas em inteligência artificial.

71% dos inquiridos vê potencial nos profissionais em IA para analisar os dados.

Embora a China lidere a taxa de respostas sobre o valor e impacto da inteligência artificial no tratamento de dados, são 93% os inquiridos deste país que acreditam que as máquinas nunca poderão substituir qualidades humanas como a curiosidade, a criatividade e a iniciativa.

Data Skills: essenciais

Principalmente em posições de liderança nas organizações, as data skills vão ser cada vez mais essenciais. Enquanto 92% dos inquiridos estão “dispostos” a adquirir data skills, apenas 57% está extremamente” ou “muito” entusiasmados em trabalhar com mais dados.

83% dos inquiridos afirma que quem espera que outros expliquem o significado dos dados

ficará para trás na carreira profissional.

A maioria dos inquiridos (69%), admite que nem sequer tenta aprender novas data skills, mesmo que isso signifique não ser promovido. Aproximadamente metade dos inquiridos (53%) diz ser “demasiado velho para aprender novas data skills”.

Recomendamos a leitura do estudo completo e deixamo-vos algumas questões:

  1. Estão a ser recrutadas as pessoas certas para a sua organização?
  2. Está a ser encorajada a cultura dos dados entre a sua equipa?
  3. Há oportunidades e formação interna?
  4. A sua organização está a investir na tecnologia que trará o dark data à luz do dia?

Neste último ponto, a homeostase e a Splunk podem ajudar.

quero receber updates.